SANTA DONATA

Pouco é sabido da vida de Santa Donata.

Acredita-se que viveu no século II, em Scili, pequena província Romana no norte da África.

Naquela época Scili era governada pelo imperador Cômodo, tirano cruel e vaidoso. Durante o seu reinado determinou que cristão voltassem a ser sacrificados.

Em 17 de julho de 180 D.C, na sala de audiência, Saturnino o procônsul designado pelo imperador interrogou os cristãos, entre eles Donata, e ordenou que renegassem a fé cristã, adorando somente o imperador.

Os cristãos confessaram a fé em Cristo e que serviriam unicamente a Deus.

Diante da confissão o procônsul sentenciou a morte por decapitação.

Seus restos mortais foram encontrados em uma catacumba, por volta do século VII, juntamente com as de outros santos mártires.

O culto a Santa Donata foi oficializado pelo Papa Adriano I, por volta do ano 780, e, por concessão de São Pio X, seus restos mortais foram trazidos para a Igreja de Santa Cecília, onde foram entronizados nesta urna para veneração.

Quando a cidade de São Paulo foi elevada a Arquidiocese (1909), Dom Duarte Leopoldo e Silva, primeiro Pároco da Paróquia Santa Cecília, foi a Roma e recebeu de presente do Papa São Pio X uma preciosa relíquia: um pedaço do crânio e cabelos de Santa Donata

A ossatura foi revestida com uma imagem de cera, e os cabelos permanecem expostos.

Rolar para cima